Taxa de desemprego terá subido para 6,3% em abril. Em março foi de 6,2%

0
Os dados foram divulgados, esta terça-feira, pelo INE.

As estimativas provisórias do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que a taxa de desemprego terá subido ligeiramente para 6,3% em abril, depois de se ter cifrado em 6,2% no mês de março, segundo os dados divulgados esta terça-feira. Ainda assim, a população inativa aumentou.

Em março de 2020, a taxa de desemprego situou-se em 6,2%, valor inferior ao do mês anterior em 0,2 pontos percentuais (p.p.), em 0,5 p.p. ao de três meses antes e em 0,3 p.p. ao do mesmo mês de 2019. (…) Em abril de 2020, a estimativa provisória da taxa de desemprego situou-se em 6,3%, tendo aumentado 0,1 p.p. em relação ao mês anterior”, pode ler-se no relatório do INE.

Em abril de 2020, a população desempregada – cuja estimativa provisória foi de 319,4 mil pessoas – registou um acréscimo de 0,7% (2,2 mil pessoas) em relação ao mês anterior e um decréscimo de 9,3% (32,6 mil) relativamente a três meses antes e de 6,3% (21,5 mil) por comparação com o período homólogo de 2019, segundo o INE.

Quanto à população empregada, que correspondeu a 4.754,3 mil pessoas, registou um decréscimo de 1,2% (58,1 mil) em relação ao mês anterior, de 2,1% (102,7 mil) relativamente a três meses antes (janeiro de 2020) e de 1,8% (84,7 mil) por comparação com o período homólogo.

A taxa de desemprego dos jovens foi estimada em 20,2%, a que corresponde um aumento de 1,9 pontos percentuais relativamente à taxa de março de 2019. Já a taxa de desemprego dos adultos foi estimada em 5,3%, igual à do mês anterior.

Quanto ao mês de março, comparando com o mês precedente, a população desempregada diminuiu 14,4 mil pessoas (4,3%) e a população empregada diminuiu 26,2 mil pessoas (0,5%). Porém, a população ativa diminuiu 40,6 mil pessoas (0,8%) e a população inativa aumentou 39,5 mil pessoas (1,5%), o que “sugere a passagem de empregados e de desempregados para a situação de inatividade.

De acordo com o INE, a “informação deste Destaque é influenciada pela situação atual determinada pela pandemia Covid-19”, tanto na obtenção da informação, como nas “alterações comportamentais decorrentes das medidas de salvaguarda da saúde pública adotadas”. Por isso, o INE alerta para o “especial cuidado a ter na análise das estimativas provisórias apresentadas”.

Os dados do INE revelam que nos primeiros três meses do ano a taxa de desemprego se tinha fixado em 6,7%, o mesmo valor que no trimestre anterior.


COLOCAR DÚVIDA

Se tem alguma dúvida que gostaria de nos colocar, preencha este formulário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

two × 4 =